Seja Bem Vindo!

INFORMAÇÕES, CONTEÚDOS PARA SUAS AULAS, CURIOSIDADES E MUITO MAIS!!

Este ambiente virtual pretende orientar leituras e suscitar reflexões e debates. Seja bem vindo! Inscreva-se, participe, envie seus comentários. Dê sua opinião!
________________

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Filme:Terra Vermelha -- COMPLETO legendado


Sinopse
Um grupo de índios Guarani-Kaiowá vive em uma fazenda trabalhando em condições de escravidão e ganham alguns trocados para posarem de atração turística. Eles decidem reivindicar a devolução das terras de seus ancestrais e começa um grande conflito com os fazendeiros.

Obra do cineasta ítalo-chileno Marco Bechis, o filme-documentário retrata os conflitos pela posse de terras enfrentados por índios guarani kaiowá no Mato Grosso do Sul.

Uma recomendação do Prof. Pablo
 
Olho no olho, o cacique e o fazendeiro duelam emocionalmente pela posse da terra. A cena do conflito é dramática e representa um ato que ocorreu na pequena Dourados (MS) anos atrás. Nela, o branco alto – ou caraí, como é chamado pelos índios – se agacha e recolhe um punhado de terra com a mão e diz em alto e bom som: “Essa terra meu avô conquistou!”. Diante da cena interpretada pelo ator Leonardo Medeiros, o cacique faz um gesto parecido, porém, um tanto mais humilde. Agarra o mesmo tanto de terra e o leva a boca, mastigando a mistura como se fosse farinha.

A tensão da cena exibida pelo filme “Terra Vermelha” (Birdwatchers), dirigido pelo ítalo-chileno Marco Bechis, retrata os conflitos de posse de terras enfrentados por índios guarani kaiowá, cuja maioria encontra-se no Mato Grosso do Sul e próximo à fronteira tríplice Paraguai/Argentina/Brasil.

A ocupação de terras por indígenas reportada pela mídia revela a situação deplorável em que vivem, o espaço é limitado e não comporta o seu modo de vida cultural, resultando em disputas com fazendeiros, assassinatos, desnutrição, alcoolismo, mortalidade infantil, e uma taxa assustadora de suicídios.

Em “Terra Vermelha”, Bechis usa esses elementos como pano de fundo e, por meio de belas imagens, boas atuações e um roteiro muito bem feito, preciso e dramático, consegue surpreender o espectador e levá-lo a uma realidade crua mesclada à fantasia ficcional.

Indicado ao Leão de Ouro no Festival de Veneza e exibido na abertura da 32ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o filme conta com a co-produção brasileira da Gullane Filmes e participação do consagrado Matheus Nachtergale. Apesar de poucos atores conhecidos e falado, na maior parte, em tupi-guarani, Terra Vermelha é surpreendente e emocionante. Através da ficção, Bechis abre espaço para mostrar a dura realidade dos povos indígenas de modo peculiar e que, talvez, poucos documentários ou reportagens seriam capazes de conseguir.
Postar um comentário

Você poderá gostar também de: