Seja Bem Vindo!

INFORMAÇÕES, CONTEÚDOS PARA SUAS AULAS, CURIOSIDADES E MUITO MAIS!!

Este ambiente virtual pretende orientar leituras e suscitar reflexões e debates. Seja bem vindo! Inscreva-se, participe, envie seus comentários. Dê sua opinião!
________________
Carregando...

segunda-feira, 30 de junho de 2014

AS ARMAS DO BRASIL PARA DEFENDER O PRÉ-SAL


O Domingo Espetacular exibiu por 22′ uma reportagem sobre o es-pe-ta-cu-la-r investimento que o Brasil realiza para se defender, dominar tecnologia de ponta e se tornar protagonista na estratégica indústria da Defesa.

Modestamente, a Record enfrenta temas que aquela emissora – sabe qual é ? – prefere evitar …

O submarino movido a propulsão nuclear – com enriquecimento made in Brazil – , os carros de combate Guarani desenhados no Exército, e os aviões de caça que serão construídos a quatro mãos com os suecos da Gripen, a Embraer e a Saab-Scania em São Bernardo do Campo.

O vira-lata dizia que não ia ter Copa. (Clique aqui para ler o que os jornalistas – estrangeiros – pensam da Copa das Copas).

O que não vai ter é vira-lata.

terça-feira, 24 de junho de 2014

5 falácias e 5 verdades sobre a Copa no Brasil

Os arautos do caos e do desconcerto na velha mídia nacional e internacional perderam o pé e estão naufragando. Mas nem por isso vão perder a esperança.


Com base na cobertura da velha mídia nacional e internacional podemos afirmar sem medo de que eram e são falácias:
1. Acreditar que o Brasil não tem condição para organizar eventos deste porte, porque é um país onde grassam apenas  a corrupção, a violência e a incompetência. Quem acreditou nisto perdeu a aposta. E tem mais: o Brasil já ganhou prêmio da ONU pelo combate à corrupção e lidera a comissão a respeito na OCDE.

2. O Brasil é e será um país de eternos pobretões, miseráveis e favelados para sempre. O Brasil está se superando e deixando outras nações a ver poeira em matéria de combate à pobreza. No recente Congresso da Confederação Sindical Internacional, que elegeu o brasileiro João Felício (ex-presidente da CUT e da Apeoesp) como seu presidente, o pronciamento da representante da ONU a respeito foi enfática: em matéria de dminuição da pobreza o Brasil é um exemplo a ser estudado e seguido. Mas não esqueçamos: isto não deve ser motivo de desprezo em relação a outros países. Ao contrário, deve ser motivo de maior solidariedade internacional.

3. A população brasileira tornou-se contrária à realização da Copa no país. Esta é a oração mais repetida da ladainha contra o nosso país. Não é verdade. Sucessivas reportagens de outros países atestam o entusiasmo de nossa população com a Copa, além de depoimentos oriundos do Brasil também. 80% da população é a favor, indicam as últimas pesquisas.

4. O Brasil não deveria aplicar em estádios o dinheiro que deveria aplicar em educação e saúde. Não só isto não é verdade (os investimentos motivados pela Copa, inclusive nos estádios, são pequenos em relação ao que o país investe em educação e saúde), como revela má fé ou ignorância por parte de quem os manipula ou repete. Quem faz isto ou oculta ou ignora a complexidade econômica, social e cultural de um país como o Brasil. Os investimentos em infra-estrutura de mobilidade urbana, viária, ou ainda aérea geraram mais de 700 mil empregos no país. Eles deveriam ter sido feito antes – isto sim pode ser uma crítica construtiva. Mas agora saíram do papel. Graças, em parte, à Copa.

5. As vaias e os insultos do setor VIP no "Itaquerão" e as manifestações “Não vai ter Copa” são representativas do sentimento e mal estar geral da população. Não são. As vaias e xingamentos provocaram mais repúdio do que aplauso, inclusive por parte de gente do setor conservador e/ou que por qualquer razão não votou nem votaria na presidenta em outubro. As manifestações minguaram em frequência e em número de manifestantes e só ganham espaço na mídia devido à busca de sensacionalismo.

Vamos agora às verdades:

1. Esta pode não ser a Copa das Copas em matéria de futebol (confesso que para quem viu, a de 58 não sai das retinas), mas decididamente é a melhor Copa nestes termos nos últimos tempos. Hospedar futebol de tamanha qualidade, ofensivo, bonito e eletrizante por vezes, além de ser uma honra para um país, certamente será um incentivo para nossos jogadores – presentes e futuros – ostentarem algo parecido. Além disso é lindo ver times como os do Uruguai, da Costa Rica e de Gana fazerem das tripas coração e jogarem bonito  contra equipes milionárias e tidas como imbatíveis.

2. Nosso povo está dando um show de bola em matéria de alegria, hospitalidade e esportividade. Incidentes isolados e menores não conseguem tapar esta realidade com as peneiras do descrédito e do desprezo, que insistem que as cidades brasileiros são verdadeiros faroestes de violência, desorganização, furtos, roubos e assassinatos. A Copa renderá dividendos no futuro: a grande maioria dos visitantes vai desejar voltar e conhecer o que ainda não teve oportunidade de conhecer, do Oiapoque ao Chuí e do Acre à Paraíba.

3. O nosso povo pensa com a cabeça e o coração e ama o nosso país. Estão correndo mundo cenas como a da camareira surpreendida no quarto de hotel a cantar e a dançar o hino nacional que via e ouvia pela televisão. Também correm mundo as cenas dos estádios inteiros a cantar nosso  hino com vontade e... afinação também! Nem por isto viramos nacionalistas xenófobos e que não veem o próprio país com discernimento e também críticas. Atesta isto a rotação do nome “Não vai ter Copa”, uma ilusão deste sempre, para o de “Vai ter luta na Copa”, ou “Copa com luta”, que pode ser algo positivo e produtivo.

4. A realização da Copa está contribuindo para construir uma imagem muito positiva do Brasil e disseminando-a pelo mundo afora. Aos poucos populações de todo o mundo vão pulando por cima dos noticiários preconceituosos e exclusivamente negativos e percebendo por trás deles ou mesmo nas entrelinhas o entusiasmo com que o nosso povo recebe a Copa e seus benefícios. Comentários de leitores indignados com notícias ou artigos que torcem tudo para mostrar apenas o que é ruim – ou o que deveria  ser ruim – se multiplica.

5. Os arautos do caos e do desconcerto na velha mídia nacional e internacional perderam o pé e estão naufragando. Mas nem por isso vão perder a esperança, na expectativa de que ainda haja alguma catástrofe dentro dos campos (por exemplo, uma possível eliminação precoce do Brasil) ou fora dele: aqui serve qualquer coisa, de inundação a desastre. Afinal, velha mídia é velha mídia, e tem uma "reputação" a manter. (E precisa 'alimentar' os pessimistas.)

Fonte: CartaMaior

terça-feira, 17 de junho de 2014

O ódio envenena e mata! Curta metragem CÓLERA Imperdível!

O ódio envenena e mata. Os seis minutos do curta metragem Cólera do espanhol Aritz Moreno nos impacta como um raio pela sua mensagem direta e contundente. Rodado em um único plano-sequência que mistura os pontos de vista de todos os personagens, o curta foi baseado em um comic book do norte-americano Richard Corben.

Selecionado e premiado em todos os festivais de horror e fantástico nos quais foi exibido, o curta espanhol “Cólera” (2013) de Aritz Moreno é uma preocupante representação contemporânea da escalada do espírito de linchamento, ódio e intolerância. O curta comprova como o gênero, desde o filme “O “Gabinete do Dr. Caligari” de 1919 que teria antevisto o nazismo, é um termômetro da cultura e da sociedade em cada momento: na Espanha, a crise econômica e o crescimento da xenofobia e o ódio racial; no mundo a intolerância e o racismo como um mal viral e endêmico, assim como a cólera. Além disso, o curta consegue em seus seis minutos de um único plano sequência fazer uma síntese do psiquismo da personalidade autoritária: o ódio pode matar sua vítima, mas também envenenar o próprio algoz.
Selecionado e premiado em mais de cem festivais em todo o mundo, podemos ler no poster promocional um verbete curto e direto: “Cólera: m. Pat. Enfermidade contagiosa epidêmica aguda e muito grave” - veja o curta abaixo.
O curta relata de forma crua a população agressiva e colérica de um vilarejo que pretende fazer justiça com as próprias mãos. Armados com paus, pedras e espingardas pagarão as consequências desse linchamento. Todos estão se dirigindo a um pequeno casebre construído de forma precária com tábuas velhas e papelão, isolado no meio de um campo. Lá se encontra o objeto de todo ódio da população, alguém que, segundo eles, já teria causado “problemas demais”. “Finalmente uma vila limpa!”, brada o líder do populacho enfurecido e levantando uma espingarda.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

8º Prêmio Professores do Brasil: Inscrições abertas.

Clique na foto para ampliar

O Prêmio Professores do Brasil é uma iniciativa do Ministério da Educação, através da Secretaria de Educação Básica, juntamente com as instituições parceiras. Instituído em 2005, tem como objetivo reconhecer, premiar e divulgar o mérito de professores das redes públicas de ensino, pela contribuição dada para a melhoria da qualidade da educação básica. Para tanto, são avaliadas as experiências pedagógicas bem sucedidas e inovadoras.          LEIA MAIS>>>

As inscrições para o Prêmio Professores do Brasil deverão ser realizadas via Internet no período de 02 de junho a 15 de setembro de 2014. Para se inscrever, o professor deve responder a uma série de questões, sobre seu trabalho inovador: como se organizou, como foi a participação dos alunos, quais foram as etapas do trabalho, como foi feita a avaliação etc. Inscrições entre 2 de junho e 15 de setembro.
Clique aqui e faça sua inscrição.
O Inscrições até 15/09/2014
40 trabalhos premiados em todo Brasil.
Prêmio no valor de 6 mil reais.

Prêmio extra no valor de 5 mil reais e muito mais.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Um passeio com as girafas: Imperdível!


sexta-feira, 16 de maio de 2014

AO VIVO: 4º Encontro Nacional de Blogueir@s e Ativistas Digitais, em São Paulo


Caso não seja possível ver ao vivo abaixo, CLIQUE AQUI >>

Começa nesta sexta-feira o 4º Encontro Nacional de Blogueir@s e Ativistas Digitais, em São Paulo. São aguardados 500 ativistas digitais de todo o país.
Na sexta-feira, 16 de maio, o Encontro Nacional promoverá um Seminário Internacional que se propõe a dar continuidade aos debates do 1º Encontro Mundial de Blogueiros realizado em outubro de 2011 em Foz do Iguaçu (PR). Sete conferencistas internacionais participarão dos debates sobre mídia, poder e América Latina, seguido de um debate sobre a luta pela democratização da mídia no Brasil.
No sábado, 17 de maio, a proposta é retomar a experiência do primeiro encontro nacional realizado em 2010 por meio das desconferêncas. As atividades iniciam com um debate sobre a juventude e a força das novas mídias e será seguido das desconferências, em que serão formados grupos de debates. Nesses grupos, o debate será iniciado por ativistas convidados e todos os participantes terão vez e voz para relatar suas experiências e participar dos debates. Após as desconferências, os grupos voltam a se reunir para um debate sobre a mídia e as eleições de 2014, seguido de uma festa de confraternização.
No domingo, 18 de maio, os debates serão sobre a Carta de São Paulo e ações do movimento de blogueir@s e ativistas digitais.
Abaixo, veja a programação.
16 de maio, sexta-feira
9:00 – abertura
9:30 – Debate: Mídia, poder e contrapoder
Debatedores: Pascual Serrano (Espanha, criador do site Rebelion), Andrés Contreris (Estados Unidos, integrante do movimento Democracy Now), Venício A. de Lima (Brasil, professor aposentado da UNB, autor de diversos livros).
Coordenação da mesa: Tatiane Pires (RS) e Sérgio Bertoni (PR).
11:30 – Palestra do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva
Coordenação da mesa: Conceição Lemes (SP) e Ênio Barroso (SP).
14:30 – Debate: A mídia na América Latina
Debatedores: Osvaldo Leon (Equador, integrante da Agência Latinoamericana de Informação), Iroel Sánchez (Cuba, criador do site Cuba Debate), Eduardo Guimarães (Brasil, blogueiro).
Coordenação da mesa: Débora Cruz (DF), Theo Rodrigues (RJ).
17:30 – Debate: A luta pela democratização da mídia no Brasil
Debatedores: Luiza Erundina (coordenadora da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão – Frentecom), Renata Mielli (secretária-geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação – FNDC), Laurindo Lalo Leal Filho (professor da USP e ex-ouvidor da Empresa Brasil de Comunicação – EBC), Luciana Santos (deputada federal do PCdoB/PE).
Coordenação da mesa: Conceição Oliveira (SP) e Diógenes Brandão (PA).

Você poderá gostar também de: